Acidentes causados por raios. Como minimizar os riscos?

como minimizar os acidentes com raios

De acordo com estudos realizados pelo INPE1, o Brasil é o campeão mundial em incidência de raios, cerca de 77,8 milhões por ano. Os principais fatores desta incidência elevada estão ligados à grande extensão territorial e ao clima do nosso país, que favorecem a ocorrência destes fenômenos naturais, principalmente nos períodos de chuvas. Das 50 mortes causadas por raios do mundo, 1 ocorre no Brasil2. A chance de uma pessoa ser atingida por um raio é algo em torno de 1 para 1 milhão, sendo que 20% a 30% das vítimas são fatais. Estima-se que 130 pessoas morrem atingidas por raios no Brasil por ano e cerca de 500 ficam feridas3.

Dada a importância do tema, apresentamos algumas dicas úteis4 para evitar acidentes causados por estes fenômenos naturais.

Como se proteger dos raios?

  • Evite sair ou permanecer na rua ou em locais abertos durante tempestades. Caso seja “pego de surpresa”, uma opção segura é abrigar-se dentro de um veículo fechado, sem encostar na lataria, assim que ouvir o primeiro trovão, aguardando até a tempestade passar.
  • Se estiver em casa ou em algum outro tipo de edificação, não utilize aparelhos ligados à rede elétrica ou telefônica. Mantenha distância de fios elétricos e de portas e janelas metálicas.
  • Não se exponha às situações que oferecem pouca ou nenhuma proteção contra raios, como abrigar-se em tendas e permanecer sobre veículos abertos, tais como motocicletas, tratores sem cabine e bicicletas.
  • Evite locais altos e isolados (como topos de morros ou de prédios), áreas extensas e abertas (como campos de futebol e quadras de tênis), praias, piscinas e nas proximidades de cercas de arame, varais metálicos, linhas aéreas, trilhos, árvores e torres de energia elétrica.

Além das pessoas, também devemos proteger o patrimônio.

A queda de raios nas edificações causa efeitos diretos e indiretos5. O impacto direto de um raio pode até quebrar partes da estrutura e também provocar incêndios. As consequências indiretas estão ligadas às elevadas correntes elétricas, que circulam nas instalações, queimando equipamentos e componentes à elas conectados.

Uma vez que os raios são fenômenos imprevisíveis, é necessário nos prevenir, protegendo as edificações adequadamente, considerando a segurança das pessoas, estruturas e instalações. Este tema é tratado pela norma ABNT NBR 5419 (partes 1 a 4) – Proteção contra descargas atmosféricas. Indicamos a leitura!

Os componentes geralmente utilizados como parte do sistema de proteção das instalações e equipamentos elétricos contra os efeitos indiretos das descargas atmosféricas são os DPS – Dispositivos de Proteção contra Surtos. Eles atuam desviando o “excesso de energia” para à terra.

É importante lembrar que uma proteção adequada não se limita a um só componente, e sim a uma combinação de elementos, definidos de acordo com os critérios estabelecidos pelas normas técnicas correspondentes.

 

Referências:

(1) Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) –  http://bit.ly/2mlgKXB – Você sabia? Acessado em 27/09/2019.
(2) Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) – http://bit.ly/2lG1Pan  – Vítimas de raios – Infográfico. Acessado em 27/09/2019.
(3) Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) – http://bit.ly/2nUmAQl – Perguntas e respostas frequentes. Acessado em 27/09/2019.
(4) Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) – http://bit.ly/2nk6lLT – Cartilha “Proteção contra raios” e Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO) – http://bit.ly/2mcPnPI – Raios e tempestades, como se proteger. Acessados em 27/09/2019.
(5) International Copper Association Brazil (Procobre) – http://bit.ly/2lDFXfE – “A revisão da NBR 5419”. Acessado em 27/09/2019.