Conheça os DPS – Dispositivos de Proteção contra Surtos

conheça os DPS

Os surtos são elevações momentâneas na tensão (“voltagem”) da rede elétrica, que podem facilmente atingir milhares de Volts. Normalmente são causados por descargas atmosféricas (raios), pela manobra de circuitos elétricos e comutação de máquinas e motores de alta potência.

Embora os surtos tenham curta duração (em geral frações de segundo), são suficientes para danificar seriamente equipamentos eletrônicos sensíveis, causando prejuízos com manutenções e trocas, sem contar o transtorno causado pela indisponibilidade dos aparelhos. A fim de evitar estes inconvenientes, é necessário adotar meios que reduzam o risco de danos permanentes aos equipamentos e instalações elétricas1, tais como a utilização dos DPS – Dispositivos de Proteção contra Surtos.

Um DPS tem a função de “desviar” os surtos elétricos para a terra, evitando que “cheguem” até os equipamentos, minimizando assim seus efeitos prejudiciais. O item 6.3.5 da norma brasileira de instalações elétricas de baixa tensão2 apresenta requisitos que devem ser considerados para especificação, seleção e aplicação dos DPS.

O modelo mais comum de DPS utilizado em redes elétricas é o que se instala nos quadros de distribuição de energia, junto com os disjuntores e DR (Interruptores Diferenciais Residuais).

Para identificar a condição de uso, os DPS devem ser providos de meios que indiquem seu estado de funcionamento (ativo ou inativo). Alguns fabricantes utilizam um LED verde aceso para indicar que o DPS está ativo. Mas a forma de sinalização pode variar. É preciso estar atento.

Em geral, os DPS destinados ao uso em redes elétricas possuem internamente varistores (componentes eletrônicos responsáveis pela detecção e “desvio” dos surtos para a terra) e fusíveis térmicos (ou componentes similares), que desempenham a função de desconectar automaticamente o DPS da energia quando este chegar ao fim da vida útil, e ao mesmo tempo, mudar o estado do indicador, sinalizando a necessidade de troca.

A durabilidade dos DPS depende da frequência e intensidade dos surtos elétricos que ele “absorve”, podendo ser indeterminada (para muitos surtos de baixa potência) ou de apenas uma só descarga de alta potência, que ultrapasse a capacidade especificada para o DPS. De qualquer forma, ele irá “absorver” a energia excessiva até “queimar”, cumprindo sua função, devendo ser substituído.

Um fato importante sobre os DPS é que eles não interrompem o fornecimento de energia no final da sua vida útil. Assim, recomenda-se verificar periodicamente o status dos mesmos.

Outra dúvida frequente, se refere aos equipamentos ligados às redes de voz e dados. Estas conexões também necessitam de DPS específicos, uma vez que elas também estão sujeitas aos surtos elétricos.

Conheça outros modelos de DPS.

Além dos DPS projetados para uso nos quadros elétricos, existem outros tipos, de diferentes formatos, próprios para a proteção de equipamentos específicos, tais como portões eletrônicos e lâmpadas LED.

É importante destacar que um sistema de proteção contra surtos eficiente deve seguir um projeto, baseado nas normas técnicas correspondentes. Algumas situações irão requerer DPS de maior capacidade e, conforme o caso, em maior número, devidamente coordenados e distribuídos ao longo da instalação.

 

Referências:

(1) Norma NBR 5419-4:2015 – Proteção contra descargas atmosféricas. Parte 4: Sistemas elétricos e eletrônicos internos na estrutura. Publicada pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).
(2) Norma NBR-5410:2004 – Instalações elétricas de baixa tensão, publicada pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).